Olá todo mundo! Eu sei que dezembro começou e eu não postei nada ainda, mas é que eu não sabia que minha semana de provas ia ser no início do mês, pois é. E eu também sei que meus posts sobre livros/leitura andam meio sumidos aqui do blog, assim como os outros conteúdos, mas é porque eu não tenho lido tanto quanto antes, estou sem tempo. Ultimamente está sendo um livro por semana, muito deprimente, eu sei, mas eu estou prevendo uma maratona literária para este mês ainda, então, se preparem que eu ainda posso surpreender vocês. Vão ter bastantes posts de leitura, além dos de receitas, porque, né. Natal - Comida, muito eu isso. Enfim, bora pro assunto do post agora, foco. Eu li esse livro em novembro, mas to trazendo neste mês porque ele mal começou e eu não tive tempo de ler nada ainda, mas não que isso mude o fato desse livro ser maravilhoso, sério. Agatha Christie sempre vai ser a rainha da ficção. Eu a amo demais gente, socorro.
     Bom, estamos falando de uma coletânea que reúne 12 contos com o grande detetive Hercule Poirot. Para dar sentido à obra, Christie faz uma introdução onde um conhecido de Poirot, em visita a sua casa, comenta que os pais deveriam ser mais atentos na escolha do nome dos filhos, e cita como exemplo Poirot, que não tem absolutamente nada a ver com um Hércules, o grande herói da mitologia grega que tinha a força de 10 homens.
     Poirot se sente desafiado e, pesquisando, descobre que jamais poderia ser comparado com o grosso, rude e bruto, Hércules. Mas, metaforicamente, ele também poderia realizar os 12 trabalhos daquele herói mitológico. E assim decide fazer e começa a escolher os seus casos utilizando este critério. Nos contos Poirot elimina os seus próprios Leão da Nemeia, Hidra de Lerna, Touro de Creta, Aves de Estínfalo, Cérbero, entre outros.
     No período anterior à sua aposentadoria final ele aceitaria doze casos, nem mais, nem menos. E esses doze casos seriam selecionados com vistas especiais aos doze trabalhos do Hércules da antiguidade. Seu amigo Dr. Burton ao saber de seus planos diz - São trabalhos de amor. No entanto ele crê que havia entre este Hercule Poirot e o Hércules das lendas clássicas um ponto de semelhança. Ambos, sem dúvida, tinham sido instrumento para a libertação deste mundo de um certo número de pragas. Cada um podia ser descrito como um benfeitor da sociedade em que viveu.
     Poirot estuda as lendas clássicas e decide que seu primeiro Trabalho, portanto, seria o do Leão da Nemeia. Naturalmente não esperava que aparecesse um caso em que efetivamente estivesse envolvido algum leão de carne e osso. Seria necessário recorrer a um certo simbolismo. O primeiro caso que surge é sobre o sequestro de um cachorro pequinês. A partir daí Poirot se envolve em casos que o lembrarão dos trabalhos de Hércules como ele pretendia.
     12 histórias curtinhas que confirmam a genialidade de um dos maiores detetives da ficção, Hercule Poirot. As histórias são curtinhas, mas dão o gostinho dos feitos de Poirot e de sua inigualável atenção para os detalhes.
     Eu realmente gostei do livro, e se você se interessou, espero que leia e, se quiser, me dê sua opinião. Bom, por hoje é só, mas esta semana nos veremos novamente, eu prometo! É isso aí, beijo pra vocês e até a próxima aventura.
~image: here~